domingo, 31 de julho de 2011

SABER MAIS SOBRE OS ÓLEOS ESSENCIAIS

Como funcionam os óleos essenciais
por Kathi Keville - traduzido por HowStuffWorks Brasil

INTRODUÇÃO

Para comprar óleos essenciais de boa qualidade para aromaterapia, é necessário entender como um óleo essencial é extraído das plantas, assim como saber diferenciar um óleo de boa qualidade de um de má qualidade. É impossível distinguir apenas olhando. Utilizar um óleo essencial de alta qualidade é importante para conseguir os máximos benefícios de cura dos tratamentos de aromaterapia. E, com o tempo, comprar óleos de alta qualidade custará menos para o seu bolso também.


Compreender como os óleos essenciais são extraídos das plantas pode ajudar a entender quais deles são necessários e qual é a qualidade que você precisa.



Neste artigo, você irá aprender tudo o que é necessário sobre os óleos essenciais para que você possa saber exatamente o que procurar em sua próxima compra de artigos para aromaterapia.

COMO OS ÓLEOS ESSENCIAIS SÃO PRODUZIDOS

Há diferentes técnicas de extração de óleos essenciais e todas requerem equipamento elaborado. Como você verá nas descrições a seguir, a maioria das técnicas é baseada no fato de que a maior parte dos óleos essenciais mistura óleos, gorduras, álcool e certos solventes, mas não mistura água. A constituição química das plantas determina o método de extração mais adequado a cada uma delas.

 Produzir óleos essenciais envolve equipamentos complexos e elaborados, não sendo possível produzi-los em casa.


Destilação

Os mais puros óleos essenciais são extraídos de plantas através da destilação a vapor. Plantas frescas e picadas são suspensas em água fervente e o vapor retira os óleos dessas plantas. O vapor sobe, é capturado em um recipiente e empurrado por um tubo. Então o vapor é rapidamente resfriado, fazendo com que se condense novamente em água. Desde que a água e os óleos não se misturem, os dois são devidamente separados e o óleo essencial é coletado.

Um derivado dessa destilação é a água restante. Algumas plantas contêm compostos aromáticos solúveis em água. Eles permanecem na água que fica após a destilação. Essa água é bem perfumada e apreciada pelos aromaterapeutas, que se referem a ela como hidrosóis. Na aromaterapia, os hidrosóis são usados quase sempre na cosmética para hidratar a pele.

Expressão

O método mais direto de produzir os óleos essenciais é espremer as plantas frescas, sementes e cascas - um processo similar ao usado para obter o óleo de oliva. Essa técnica é usada principalmente em cascas de cítricos, como laranja, limão, lima ou toranja, porque o óleo dessas cascas é facilmente extraído.

Enfleurage

Este método é muito antigo e, exceto na França, pouco utilizado atualmente. É um longo e complicado processo que se tornou muito caro. As flores são colocadas em placas com gordura quente que absorvem seu óleo. Originalmente, a gordura animal ou banha eram utilizadas, mas agora as gorduras vegetais são mais comuns. Uma vez que o óleo essencial é incorporado pela gordura, as flores "usadas" são removidas e substituídas por flores frescas. O processo é repetido várias vezes até que a gordura tenha absorvido fragrância o suficiente. Então, a gordura é separada com solventes, restando apenas o óleo essencial.

Solventes

Os aromaterapeutas tendem a evitar os óleos obtidos através de solventes químicos, preocupando-se com possíveis vestígios de solventes que permanecem. Primeiramente, a planta é dissolvida em um solvente como benzeno, hexano ou cloreto de metileno. O solvente, que possui um ponto de ebulição baixo, é evaporado, às vezes com a ajuda de uma máquina que usa vácuo ou força centrífuga para ajudar a extraí-lo do óleo essencial.

Os óleos resultantes são chamados de "absolutos". Um método similar usa cera de parafina como solvente, que não evapora. Em vez disso, a parafina restante faz com que o produto final seja sólido e assim chamado de "concreto".

Até mesmo o solvente evaporado é recapturado, resfriado e transformado em líquido novamente para que possa ser reutilizado. Esse processo ainda tem preço bastante elevado, por isso é reservado para óleos mais caros que não podem ser destilados, como o de jasmim e de baunilha, ou para óleo de rosas, que é pouco mais barato do que quando obtido pela destilação.

Dióxido de carbono

Novos métodos para obter os óleos essenciais têm sido apresentados atualmente. Um dos processos mais interessantes, embora extremamente caro, extrai o óleo com dióxido de carbono. O resultado é um aroma agradável muito semelhante ao da própria planta.

Dependendo da forma como o óleo essencial é produzido, a qualidade e a concentração podem ser bastante afetadas.

QUALIDADE DO ÓLEO ESSENCIAL

Como os óleos essenciais são produtos da natureza, a qualidade deles é afetada pelas condições de cultivo de cada espécie de planta em particular, pelas técnicas de extração, pela armazenagem e por outros fatores. Até mesmo o tipo de solo, a temperatura e a sombra das nuvens afetam alguns óleos.

Para determinar a qualidade de um óleo essencial, é necessário levar em consideração três características muito importantes - pureza, classificação e integridade.

Pureza

Pureza é um fator importante para quem compra óleos essenciais. Eles podem ser aldulterados, expandidos ou diluídos em óleos vegetais, álcool ou solventes ou podem ser inteiramente substituídos por uma imitação de baixa qualidade. Esses substitutos e expansores podem não ser derivados de plantas. E mesmo se forem, o óleo não será tão potente como deveria ser, nem funcionará como deveria. Infelizmente, um rótulo que informe que o produto se trata de um óleo essencial puro não é garantia de que ele seja realmente puro. Um óleo de rosa ou baunilha pode ter sido produzido em laboratório com produtos químicos sintéticos, mas ainda assim pode ser rotulado como óleo essencial.

Óleos baratos como o de laranja, cedro ou hortelã-pimenta, raramente são adulterados. Entretanto, a adulteração é comum em óleos caros que têm maior demanda, como os de rosa, melissa e jasmim. Geralmente é fácil detectar quando são diluídos em óleo vegetal. A diluição em álcool pode ser um pouco mais difícil de ser detectada, pois esses óleos têm um leve odor de álcool. Os óleos adulterados com um solvente claro não oleoso são os mais difíceis de serem reconhecidos. Isso é um potencial risco para a saúde, porque os solventes são rapidamente absorvidos pelo corpo quando esfregados na pele ou inalados.

Classificações

Muitos óleos essenciais são vendidos para distribuidores com diferentes classificações. Seus preços geralmente refletem isso: as melhores classificações exigem até o dobro do custo das classificações menores. Por exemplo, a essência de lavanda normalmente está disponível em pelo menos uma dúzia de classificações diferentes e a de limão, em quatro. As classificações menores geralmente ainda são óleos essenciais puros, mas contêm menor quantidade dos mais importantes princípios aromáticos.

Os diferentes métodos de processamento podem produzir diferentes classificações. Por exemplo, a redestilação produz um óleo mais forte em alguns componentes do que em outros. Isto é geralmente feito com o óleo de hortelã-pimenta para que o sabor de gomas de mascar e de doces fique mais suave e o aroma fique mais fresco.

Uma vez que seu olfato tenha tido uma pequena experiência com os óleos essenciais, você vai descobrir que as classificações mais altas geralmente são mais intensas e têm fragrância mais rica. Óleos com qualidade mais baixa geralmente têm aroma menos complexo ou fraco, pois não contêm uma variação completa de compostos aromáticos.

Quando duas garrafas do mesmo tipo de óleo têm cheiros diferentes, um não é necessariamente melhor que o outro. Os óleos de melhor qualidade são similares ao vinhos finos, pois nem os peritos concordam de maneira unânime na escolha de um favorito. Por exemplo, um óleo essencial de gerânio deve ter um inconfundível toque cítrico, enquanto outros têm um aroma mais parecido com rosas. Qual é o melhor? Muitas pessoas preferirão o aroma de rosas, mas isto não o torna o melhor.

Integridade

Por integridade, entendemos que o óleo deve puro e natural e deve se originar de apenas uma espécie de planta (e provavelmente até mesmo da mesma região e colheita). Um óleo com integridade não é elaborado em um laboratório ou composto de óleos essenciais baratos. Mas os óleos essenciais mais baratos de capim limão ou citronela às vezes mascaram óleos mais caros como melissa (erva cidreira). Para fazer um óleo artificial de rosa em laboratório, o gerânio rosa pode ser utilizado como ponto inicial, depois quimicamente alterado para imitar, embora nunca perfeitamente, um aroma de rosa.

O problema aqui é que, embora o produto final ainda contenha apenas óleos essenciais puros e naturais, ele não possui as propriedades desejadas. Procurar um óleo por seu nome em latim pode ajudar, mas não é garantia de que você encontre o que quer.

COMO COMPRAR ÓLEOS ESSENCIAIS

Em primeiro lugar, pode parecer uma tarefa muito difícil saber a diferença entre uma classificação boa ou má de óleo, ou reconhecer um óleo sintético. Porém, você irá se surpreender ao perceber que descobrir um bom óleo essencial se torna uma tarefa fácil após um pouco de prática.

Cada empresa de óleo essencial decide a qualidade que vai oferecer. Algumas vendem as classificações mais baixas e baratas, enquanto outras preferem vender os óleos de classificações mais altas. Algumas linhas tendem a ser mais caras que outras. Porém, não utilize apenas o preço para julgar a qualidade de um óleo, uma vez que as classificações mais baixas podem ser vendidas por um preço muito maior do que valem. Lembre-se, também, de que os vendedores nem sempre conhecem bem a aromaterapia e podem ingenuamente pensar que qualquer coisa que traga um rótulo de óleo essencial, vem da planta cujo nome está indicado na embalagem.

  Raemin Zhang
Os óleos essenciais mais baratos podem
custar muito mais por serem mais fracos e você terá
de usar uma quantidade maior para conseguir o mesmo efeito

Anúncios sofisticados e embalagens elegantes também podem ser enganosos. Como nem todas as pessoas se preocupam com os efeitos curativos dos óleos essenciais, algumas empresas satisfazem a crescente demanda por aromas com os mais baratos meios à sua disposição. Os mais inescrupulosos vendem os óleos de baixa qualidade pelo preço dos de melhor qualidade.

Diante disto, você encontrará óleos e produtos relacionados em lojas de alimentos naturais, de ervas, em catálogos de especialidades e, é claro, em lojas de aromaterapia e de cosméticos. Algumas lojas também vendem pela Internet.

Algumas empresas que vendem óleos essenciais por correio são administradas por aromaterapeutas que apostam sua reputação para fornecer óleos de alta qualidade, então elas podem ser a melhor opção para você comprar o que deseja. Entretanto, é necessário saber exatamente o que você quer, uma vez que não será possível sentir o aroma antes de comprar.

Preço

Há uma grande variedade de preços de óleos essenciais, pois a produção de alguns é mais cara que de outros. Na Bulgária, meninas em idade escolar trabalham colhendo pétalas de rosas delicadas antes que os raios do sol possam liberar o óleo perfumado no ar. A Bulgária produz o mais fino óleo de rosas do mundo, mas são necessários cerca de 300 quilos de pétalas para produzir apenas 0,035 gramas de óleo. O óleo de rosas também é caro porque as flores devem ser cultivadas com cuidado, podadas e colhidas manualmente.

O óleo de jasmim é caro por razões semelhantes. Produzir 0,035 gramas de puro óleo de jasmim requer 20 dias de trabalho de um colhedor experiente, seguido de métodos caros de extração. Como consequência, rosa e jasmim demandam de altas quantias de dinheiro. Por outro lado, a hortelã-pimenta é muito menos custosa porque a planta contém mais óleo essencial, é relativamente fácil de cultivar e é colhida por máquinas. O preço dos óleos essenciais varia de US$5 a US$800 por 0,035 gramas ou mais, refletindo a dificuldade envolvida na sua produção.

Outros fatores como condições de cultivo, a raridade da planta, ou o local onde a planta cresce, afetam os preços dos óleos essenciais. Os óleos essenciais produzidos nos Estados Unidos automaticamente demandam um preço mais alto para cobrir o maior custo de trabalho.

Surpreendentemente, óleos mais baratos provavelmente custarão mais com o tempo. Óleos de menos qualidade geralmente são mais fracos do que os de alta qualidade e você terá de usar uma quantidade maior para conseguir o mesmo efeito do óleo de alta qualidade. Dependendo de quanto você precisa usar, você pode acabar gastando mais do que se tivesse simplesmente comprado um de melhor qualidade.

COMO ARMAZENAR ÓLEOS ESSENCIAIS

Uma vez que você tenha comprado óleos essenciais de qualidade, certamente vai querer mantê-los assim. Guarde-os em recipientes de vidro. Alguns óleos essenciais podem, na verdade, dissolver o plástico e guardá-los temporariamente em plástico pode contaminar o óleo. Não guarde os óleos essenciais em garrafas conta-gotas, pois não demora muito para que os lacres de borracha e os tubos flexíveis derretam.

A cor da garrafa realmente não importa. Apenas certifique-se de manter todos os óleos essenciais longe da luz direta do sol e longe do fogo, pois eles perdem sua potência.

Os óleos essenciais são conservantes naturais que ajudam na preservação de seus óleos portadores. O aroma desses óleos mudará e pode evaporar com o tempo, entretanto, se forem guardados em lugar adequado, a maioria dos óleos não perderá a qualidade e poderá durar anos. Os óleos cítricos, tais como o de laranja e de limão, perdem seu aroma com mais facilidade, ainda assim, eles se mantêm por alguns anos quando refrigerados.

Alguns óleos essenciais como o de patchuli, sálvia, benjoim, vetiver e sândalo ajudam a fixar o perfume de outros aromas combinados com eles e costumam melhorar com o tempo. O mesmo acontece com resinas espessas como mirra. O patchuli que tem sido armazenado por muitos anos, tem um aroma muito rico e poucas pessoas o reconhecem. Os óleos essenciais como estes ficam ainda mais valiosos com o tempo.




NOTA: Estas orientações têm caráter apenas informativo. ELAS NÃO DEVEM SER CONSIDERADAS CONSELHOS MÉDICOS. Nem os editores do Consumer Guide (R), Publications International, Ltd., o autor ou a editora assumem a responsabilidade por quaisquer conseqüências de tratamento, procedimento, exercício, alteração de dieta, ação ou aplicação de medicamentos decorrentes da leitura ou do seguimento das instruções contidas neste artigo. A publicação dessas informações não constitui prática da medicina e não substitui o conselho de seu médico ou outro profissional da área da saúde. Antes de se submeter a qualquer tratamento, o leitor deve procurar o aconselhamento de seu médico ou outro profissional de saúde responsável.

SOBRE O AUTOR: Kathi Keville é diretora da Associação Americana de Ervas e editora do boletim Associação Americana de Ervas Trimestral. Uma escritora, fotografa, consultora e professora especializada em aromaterapia e ervas por mais de 25 anos, ela escreveu vários livros, incluindo Aromaterapia: O Guia Completo para a Arte da Cura and Guia de Bolso para Aromaterapia, e escreveu mais de 150 artigos para revistas como Diário da Nova Era, A Companheira Erva, e Novas Ervas Medicinais.

Um comentário:

Anônimo disse...

OUTROS PRODUTOS DESENVOLVIDOS
TEMOS TAMBEM UM CONCENTRADO DE FLORES NATURAIS, OU SEJA COM 10 QUILOS DE FLORES DE QUALQUER TIPO FAZEMOS 1 LITRO DE PERFUME USANDO ALCOOL. e 10% DE AGUA
USA-SE NESSE CASO LIQUIDIFICADOR INDUSTRIAL E UMA CENTRIFUGA APROVEITANDO OS RESIDUOS
TEMOS TAMBÉM ESSENCIA DE CRAVO, E OUTROS
PARA MAIORES EXCLARECIMENTOS
ENTREM EM CONTATO PELO E-MAIL ABAIXO
consulto.fiore@gmail.com
Atenciosamente
Cleide (secretaria)